sábado, 4 de abril de 2009

Para comemorar a volta de DOUG, post especial da série!


Nesse post, vamos relembrar um dos mais marcantes desenhos da década de 90: Doug!


Criação da dupla Jim Jinkins e Joe Aaron, "Doug" estreou em 1991, pelo Nickelodeon americano, permanecendo no ar até 1994. Em 1996, a Disney comprou os direitos da série, e produziu novos episódios, até 1999, usando o nome "Disney's Doug". No Brasil, a fase inicial foi exibida na TV Cultura, a partir de 1995/1996, quando obteve grande repercussão, estando numa genial grade de programação, ao lado de pérolas como "O Mundo de Beakman", "X-Tudo" e "Castelo Rá Tim Bum". A fase Disney foi exibida pelo SBT, no programa "Disney Club", a partir de 1999.


Agora, o melhor, DOUG está de volta!!! A partir do dia 06 de abril, pela TV CULTURA, as 13h30 e 17h30, de segunda a sexta! Para comemorar, resolvi escrever este artigo!


Observação: na segunda fase, produzida pelos estúdios do Mickey, diversas características foram modificadas;os protagonistas são mais velhos, a imaginação de Doug é deixada de lado, e temas ao estilo "Malhação" são enfocados, ou seja, não é a mesma (e ótima )série de antes. Portanto, nesse pequeno resumo da série, enfocaremos a fase clássica, produzida pela Nickelodeon.


Doug Funnie é um menino comum, de 11 anos, cujos interesses se resumem em coisas tipicamente infantis, como desenhos animados e brincadeiras. Porém, quando seus pais anunciam que a família mudará de cidade, indo de Bloatsburg para a peculiar Bluffington, a vida do nosso protagonista sofrerá uma mudança radical. A história é contada pelo próprio Doug, através das confissões feitas a seu diário, tendo sempre a companhia de Costelinha, seu carismático e excêntrico cachorro.


Recém chegado à cidade, Doug conhece pessoas que mudarão sua maneira de encarar a vida, mostrando que amadurecer é sim um processo complicado, mas também pode ser divertido. Vamos a uma lista dos protagonistas dessa história:


Skeeter Valentine: primeiro amigo que Doug faz na cidade, Skeeter é animado, alto astral, e a melhor companhia possível. Famoso por seus passos de dança e pela peculiar mania de emitir sons de buzina com a boca, acompanha Doug em todos os momentos, sejam bons ou ruins.






Patty Maionese: popular e carismática colega de classe de Doug, e também a grande e (nem tanto) secreta paixão do menino. Patti se destaca pela sua presença de espírito, companheirismo e amizade por Doug e Skeeter, mostrando que, ao contrário do que Hollywood sempre retrata, as garotas populares da escola também têm bom coração.





Roger Klotz: antagonista e, se podemos dizer assim, o personagem que mais se aproxima de um vilão na série, Roger é um colega de escola da turma, que tem a péssima mania de irritar os outros. Tudo pra ele é motivo de encrenca, fazendo de Doug um alvo freqüente de suas provocações. Mas, mesmo assim, Roger não é uma pessoa má, e sim alguém que se sente sozinho e quer chamar a atenção dos outros, como revelado em alguns episódios.


Senhor Dink: milionário vizinho dos Funnie, vive as voltas com produtos recém comprados que claro, custaram muito caro, e servem basicamente para impressionar os outros; apesar disso, tem bom coração e é um bom amigo para Doug.






Judy Funnie: irmã mais velha de Doug. Judite, seu nome de batismo, é atriz, participante de grupos de teatro e obcecada por Shakespeare; muitas vezes chama a atenção por suas atitudes alternativas e excêntricas, como só vestir roxo e preto, e usar óculos escuros o tempo todo. Às vezes entra em conflito com Doug, mas no fim releva as diferenças, e se dá bem com o irmão mais novo. Talvez, se o desenho fosse produzido hoje, Judy seria adepta ao estilo emo, quem sabe?


Homem Codorna: alter ego de Doug! Ao lado de Costelinha, transformado em Cãodorna, Doug encarna o super herói nas páginas do seu diário, podendo assim lidar com problemas aparentemente impossíveis de se resolver. O visual do herói era clássico: blusa com o Q (do original QuailMan),cinto na cabeça e cueca pra fora da calça!






Abertura da fase clássica (Nickelodeon/Cultura):




Alguns dos episódios mais marcantes:


-Roger e seus amigos estão depredando uma casa antiga, só pelo prazer de ver a destruição. Doug está passando pela rua, acompanhado de Patty, e é desafiado a jogar pedras também. Com medo de ser taxado de covarde, ele joga, o que faz Patty sair chorando. Depois, Doug descobre que a casa destruída pertenceu à família de Patty, e foi onde ela passou seus últimos dias com sua mãe, falecida quando Patty era criança.


.

-Doug e Skeeter tentam ir a uma apresentação da sua banda preferida, Os Beets, e ganham ingressos de uma rádio. Se perdem no caminho, e achando que tudo está arruinado, encontram a banda em um posto de gasolina e ganham ingressos vip para o show.


.

-Às vespéras de uma esperada festa a fantasia, na qual poderá finalmente se declarar à Patty (será?), uma espinha gigante nasce no nariz de Doug. Ele fica desesperado, tenta mil maneiras de se livrar do problema, pensa em desistir da festa, mas no fim tudo dá certo: Doug vai à festa mascarado (episódio disponível na sequência do post).


.

-Um parque de diversões temático de terror é inaugurado na cidade. Sem querer, Doug, Skeeter, Patty e Roger ficam trancados na Casa do Terror durante a madrugada e, em uma referência ao filme "Clube dos Cinco", tal fato serve para que todos se conheçam melhor.



Alguns episódios da série, dublados em português:
"Desatre Dental"


"Sozinho Em Casa"


"A Imensa Espinha"


Para finalizar, dois wallpapers de Doug! Para ampliar, clique nas imagens:



Qual o próximo desenho que você quer relembrar? Mande sua sugestão nos comentários! E não se esqueça também de seguir o ColorScreen no Twitter!

10 comentários

Daniel Tamayo 25 de abril de 2009 15:34  

Doug fez minha infância, um dos meus favoritos com certeza. Estou assistindo de novo graças a vc, que me avisou (vc vai pro Céu, com certeza +D) e, contrariando as probabilidades, o desenho ainda é BOM. A animação, tecnicamente, não é lá essas coisas, mas o desenho é tão bom que supera isso. E triste notar que desenhos como esse, sem heróis e lutas épicas, são raros hoje.

Paulo Almeida Prado 26 de abril de 2009 01:53  

ahahaha imagina, vai pro céu quem botou doug de volta no ar!

vdd, doug é mto bom ainda...nem acho ruim tecnicamente não, nem isso é ruim!

e pode soar ridiculo, mas acho o doug mto mais herói do que qualquer ben 10 que exista hj em dia...

testemunhos 19 de setembro de 2009 02:22  

Depois dos anos 90 a saga por dinheiro fez com que os produtores se esquecessem de como é fazer um bom cartoon como o de Doug. Em minha adolescência, juntamente com o seriado "Anos Incríveis" e "As aventuras de Babar", Doug Funnie aguçava minha imaginação e a de muitos outros também. Seu modo de lidar com situações da vida nos inspiravam. Quem nunca teve um colega chato como Roger? Um camarada como Skeeter? Medo de perder amizade ao se declarar a uma Patti? Ou ainda um animal tão companheiro que parecia humano, assim como Costelinha?
Enfim, creio que Jim Jinkins fez esse desenho com muito sentimento, algo para seus filhos verem e se lembrarem.
Hoje em dia, desenhos são feitos sobre metas e com anseio de "viciar" a criança, ao invés de fazer refletir, só ensinam a agir de modo egoísta.

por Jonathan Machado de Souza
testemunhos@bol.com.br

Paulo Almeida Prado 19 de setembro de 2009 13:49  

excelente comentário, jonathan!

resumiu bem tudo que sinto sobre Doug! obrigado pela opinião! :)

Music Land 13 de outubro de 2009 19:30  

Realmente o conteúdo da mídia dos anos 2000 é algo puramente capitalista e alienante que não se importa em passar uma boa mensagem, apenas se importa com o rendimento em audiencia e venda de produtos nos mais variados seguimentos

Paulo Almeida Prado 13 de outubro de 2009 20:46  

bom, musicland, nao acho que 100% da midia seja assim, mas é vdd, boa parte infelizmente é mesmo! =/

obrigado pelo comentario!

Anônimo 31 de outubro de 2009 19:59  

Menino, que idéia é essa que a judy atualmente seria emo??? que loucura!

Paulo Almeida Prado 31 de outubro de 2009 20:58  

hahaha foi só uma brincadeira :D

Patrícia Patty Maionese 29 de maio de 2012 12:51  

Olá, parabéns pelo blog, muito bom!!!

Sou Patrícia(Patty Maionese, para os íntimos, kkk).

Doug Funny e sua turma com certeza me faz lembrar da minha infância, da época em que havia inocência nos desenhos animados. Infelizmente, hoje em dia os desenhos não trazem nada de bom, só violência.

É ótimo saber que ainda existe espaço para animações de verdade!

Paulo Almeida Prado 30 de maio de 2012 12:00  

Patrícia, obrigado pelo elogio e valeu pelo comentário!

Related Posts with Thumbnails

  © Free Blogger Templates Spain by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP