sábado, 18 de setembro de 2010

Top ColorScreen: Especial 60 anos de TV no Brasil!

Há exatamente seis décadas, no dia 18 de setembro de 1950, um dos mais importantes acontecimentos de nossa história acontecia, em um prédio da cidade de São Paulo. O empresário Assis Chateaubriand, depois de inúmeros esforços, que incluíram, entre outros, a importação de todos os televisores existentes na época (pois, claro, o país não produzia aparelhos então), inaugurava a TV Tupi, dando início à um veículo que influencia, diverte, acompanha, retrata e fundamentalmente, faz parte da vida de todos nós. Então, como você já deve ter percebido, este post é para comemorar os 60 anos da Televisão Brasileira!

Eu pensei muito em como tratar do assunto de uma maneira diferente. Pois, por mais que a bibliografia sobre o assunto seja pequena (infelizmente...), existem várias fontes na internet onde você pode pesquisar e conhecer a trajetória do veículo no Brasil. Para não cair na mesmice, resolvi fazer uma lista, com algumas das figuras mais importantes e representativas nesse campo. Cada tema ganhou um representante, que significa bastante para tal tema (como jornalismo, novelas, e muito mais).

Foi uma tarefa bem difícil, pensar em um único elemento para representar cada aspecto, portanto é claro que faltou muita coisa, mas vamos lá! Atenção: como o conteúdo é muito extenso, dividi o artigo em duas partes. Esta é a primeira; a continuação será publicada em alguns dias! É o Top ColorScreen: Ícones dos 60 anos da TV no Brasil!

Empresário de TV: Assis Chateaubriand. No final dos anos 40, já um magnata dos jornais, através de seu grupo Diários Associados, Chatô (como era conhecido) resolveu investir numa novidade que surgia com grande destaques em outros países: a televisão. Em 18 de setembro de 1950, era inaugurada a TV Tupi, primeira emissora da América do Sul e uma das primeiras do mundo. Com a maioria dos profissionais vindas do rádio, do teatro e do circo, o canal foi a base da televisão brasileira, moldando o veículo que logo se tornaria o mais importante de nossa mídia. A história da Tupi é muito vasta e merece um post exclusivo, esse é só um resumo muito pequeno, que não faz jus à grande trajetória do canal; se quiser saber mais, pode ler aqui. Menções honrosas: Roberto Marinho (responsável pelo poderio das Organizações Globo), Silvio Santos (de camelô a magnata das comunicações), Família Machado de Carvalho (Rede Record), Adolfo Bloch (Manchete), Família Simonsen (Excelsior) e Família Saad (Bandeirantes).

Criador e diretor: José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni. Um dos maiores, senão o maior, responsável pelo patamar de qualidade e prestígio alcançado pela Rede Globo. Responsável por exemplo pelo grande investimento na teledramaturgia, pela criação de marcos da emissora (como o "Fantástico") e pela implantação do famoso Padrão Globo de Qualidade, que primava por excelência em todos os aspectos da grade de programação. Boni ficou na emissora de 1967 até 2001, e hoje toca outros projetos, como a chefia da TV Vanguarda, emissora afiliada à Globo no interior paulista. Menções honrosas: Walter Clark, Daniel Filho, Fernando Barbosa Lima, Wilton Franco, Augusto César Vanucci, Cao Hamburger e muitos outros.

Emissora: Rede Globo. Fundada em 1965, hoje. Ao longo de sua história, despertou muito amor e muita controvérsia. Amor, pois desde sua fundação, a escalada da emissora foi impressionante; há décadas líder de audiência, a Globo já teve números absurdos de concentração de audiência e investimento. Na verdade, mesmo tendo caído em tais índices, ainda hoje a emissora concentra enorme parcela dos telespectadores e verbas publicitárias. Controvérsia, pois inúmeras acusações pairam contra a emissora. Algumas razoáveis, outras absurdas (o que tem de fanático culpando a Globo por qualquer coisa...). Mas uma coisa não podemos negar: a emissora moldou a imagem do Brasil, integrou um país de dimensões continentais e merece o sucesso que alcança. Faz jus à posição de uma das maiores produtoras de conteúdo midiático do mundo, através de sua elevada qualidade de produção, muito maior que qualquer concorrente. Menções honrosas: Tupi (a primeira), Excelsior (inovadora em muitos aspectos, que foram reutilizados na consolidação da Globo), SBT, Manchete, Record.

Jornalístico: Jornal Nacional (Rede Globo, 1969 até hoje). Como diversos outros nomes da lista, falar deste telejornal é meio redundante. Primeiro a englobar o país em rede, e cobrir fatos de todas as regiões do Brasil e do mundo, o JN foi e continua sendo a principal maneira de se informar para o brasileiro médio. Mesmo com polêmicas ocorridas ao longo das décadas (como a cobertura das Diretas Já ou a edição do debate presidencial de 1989), o jornalístico se mantém como principal produto da Rede Globo, ao lado da novela das oito, campeão em audiência e faturamento. Outro destaques da categoria, alguns já extintos: Jornal de Vanguarda, Repórter Esso, Globo Repórter, Fantástico, Fala Brasil, Domingo Espetacular, TJ Brasil, Aqui Agora, Roda Viva, Canal Livre, Observatório da Imprensa, 190 Urgente, Jornal da Manchete, entre outros.

Apresentador (e ícone maior da televisão brasileira!): Silvio Santos. Lenda viva, a cara da TV, e muitos outros adjetivos são aplicados, com a maior razão, a Senor Abravanel. Desde seu começo como camelô, suas passagens pelo rádio, pela ascenção na tv (passando pelas emissoras Globo, Tupi, Record) até a consolidação do seu maior sonho: um canal próprio, que começou com o projeto TVS e se realizou plenamente com o SBT. Acredito que este quesito é o mais auto-explicativo do ranking, portanto nem me aprofundarei muito. Mito. Menções honrosas: Chacrinha (revolucionário, mas escolhi Silvio devido a sua longevidade e importância maior para o mundo da comunicação, empresarial e etc), Hebe Camargo, Flávio Cavalcanti, Jota Silvestre, Raul Gil, Gugu, Ratinho, Xuxa, Fausto Silva, Celso Portiolli e vários outros.

Na próxima parte, veja: os mais importantes atores, escritores, novelas e muito mais! Em breve!

Este post deu bastante trabalho, principalmente pelo fato de ter que resumir seis décadas em poucas linhas, além de não ter muito como citar todo mundo que mereceria um lugar, mas espero que tenha te agradado! Você concorda com as posições do Top?

Comente aí! E sintonize também o ColorScreen no Twitter!

2 comentários

Lullis 18 de setembro de 2010 01:22  

achei legal ter comentado sobre o Cao Hamburger.

E sim, Silvio Santos é o ícone da televesão brasileira HAHA

Adorei o post, quero ver o outro logo ^^

Paulo Almeida Prado 19 de setembro de 2010 02:20  

Ah sim, ele é bem importante, o Cao Hamburguer, acho as criações dele na Cultura e no SBT parte fundamental da história da TV!

E o Silvio, claro tbm! :D

Obrigado!

Related Posts with Thumbnails

  © Free Blogger Templates Spain by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP