sexta-feira, 21 de maio de 2010

Tokusatsu: Solbrain e o polêmico episódio nazista!

Durante a febre dos tokusatsus na década de 90, dezenas de produtos foram importados e ganharam as telas de nosso país. Alguns se tornaram marcos, como "Jaspion", "Changeman" e "Jiraiya". Mas outras séries não fizeram tanto sucesso, sendo esquecidas pelo grande público, que hoje em dia não as tem na lembrança. Um exemplo disso é "Solbrain", que vamos relembrar nesse post, focando em um episódio repleto de polêmica.

Produzido em 1991, o seriado estreou na Rede Manchete quatro anos mais tarde, sendo exibido de 1995 a 1997, período em que o gênero já entrava em decadência; situação que, somada à crise da emissora, acabou sepultando os seriados japonseses no Brasil. A série era uma continuação direta de "Winspector", e assim como este seriado, mostrava um esquadrão de heróis ligado à força policial de Tóquio, responsável por patrulhar a cidade, combatendo o crime. Ao lado você vê as duas equipes juntas, em um episódio especial de "Solbrain".

Chamado de Super Equipe de Resgate Solbrain, o time foi criado pelo Chefe Massaki, comandante da Polícia, que já era responsável pelo Winspector, e montou a nova equipe para suprir a falta de tais heróis, que teriam ido para a Europa. O grupo era composto por dois três humanos (um deles sem armadura, que só ficava no suporte das missões), além de um robô, projetado para o combate ao crime. Porém, em certa ocasião, tal objetivo ficou em segundo plano, quando a equipe enfrenta uma simpatizante nazista, em um episódio que gerou muita polêmica e foi proibido em diversos países (estranhamente, no Brasil foi exibido na íntegra, mesmo a emissora detentora dos direitos sendo de uma família judia).

No episódio de número 38, chamado "Convite à Morte", diversas citações ao regime nazista aparecem. Farei uma breve descrição do episódio a seguir: tudo começa com uma garota que, após observar uma oficial nazista em um quadro (este jorrando sangue), é possuída por uma energia maléfica, que a leva a tentar se suicidar, ato impedido pelos heróis. Logo depois, outra garota recebe as más influências do quadro, desfalecendo enquanto seu sangue forma a suástica. Avisado de uma crescente onde de suicídios, o Esquadrão Solbrain descobre que o quadro retrata uma torturadora do exército alemão na guerra, famosa pela crueldade. Então, os policiais confrontam a dona do quadro, uma mulher cuja família era simpatizante do nazismo e que lidera uma cruzada para perpetuar tais ideais, usando o espírito da torturadora retratada no quadro. Em uma sequência bem pesada, a mulher se auto-mutila e ocorre uma transformação, onde ela toma a forma da oficial do exército de Adolf Hitler (cena mostrada na imagem ao lado). Gritando palavras de ordem e fazendo a saudação referente ao ditador, a vilã tenta provocar mais suicídios entre as pessoas presentes, inclusive enforcando uma garota. No final, tudo se resolve quando o quadro é destruído, quebrando a maldição.

Não bastasse tudo isso, outro momento estranho vem quando o comandante da equipe, o Chefe Massaki, comenta, sem nenhuma restrição, que não apenas foi soldado do Eixo, mas convivia e tinha intimidade com Hitler (certos fãs dizem que isso é um erro de dublagem, mas não se sabe ao certo). O episódio é entremeado por imagens reais do período, como cenas de discursos do ditador, além de imagens de prisioneiros em campos de concentração. Mesmo sabendo que o Japão foi um dos aliados da Alemanha na Segunda Guerra Mundial, é bem estranho ver tudo isso, heróis de uma série voltada principalmente para o público infantil receberem ordens de um ex-integrante e simpatizante de um exército responsável por um dos períodos mais terríveis de nossa história.

Confira a seguir um compacto do episódio, com algumas das cenas citadas acima:



Se você quiser assistir o episódio na íntegra, ele está disponível para download, clicando no link a seguir: download - episódio completo.

Pessoalmente, eu acho tal atitude bem desnecessária. Uma coisa é mostrar cenas de nazismo em um filme retratando a guerra, dentro de um contexto histórico. Outra é usar tal subtexto em um seriado de aventura, que não se passa na época do conflito, mostrando como se isso fosse algo corriqueiro e exibindo imagens verídicas de discursos e prisioneiros, além de cenas com enforcamentos, suicídios e diversas violências. Na minha opinião, considero tal roteiro muito estranho e descabido para uma série desse tipo, totalmente inadequado. Ah, gostaria de agradecer ao José Marcelo, pela sugestão do vídeo!

E você, o que acha? Comente! E visite o ColorScreen no Twitter!

11 comentários

Lucho Cláudio 22 de maio de 2010 03:12  

É uma das coisas mais sem noção que eu já vi na minha vida, sem exagero. o_O


Abraço!

José Marcelo 23 de maio de 2010 14:29  

Esse episódio é bizarro até pros padrões do Tokusatsu (a cena do aporte parapsicológico do quadro é uma delas). Está no nível dum episódio do Sharivan chamado "Quem sou eu?" (que plagia "O Exorcista") e daquele capítulo no qual aparece o Leider, que tem o Sharivan num caixão, que a Record nunca exibia.

Engraçado como na Manchete não havia censura alguma...

Anônimo 25 de maio de 2010 22:04  

O nazismo foi algo péssimo na historia. Eu gosto muito de historia, e segunda guerra mundial, nazismo e Hitler são meus assuntos preferidos. Acho que usar essa temática de uma forma educacional e para uma conscientização é muito valida, porem não é o que eu vejo nesse episódio desta serie. O assunto esta sendo abordado de uma maneira vulgar, sem nada a apresentar ou abordar o assunto de uma maneira positiva. Totalmente desnecessário, sem falar que não tem o mínimo sentido nada com nada

Até mais Paulo

Paulo Almeida Prado 25 de maio de 2010 22:17  

Pois é, concordo com todos vocês!

Obrigado pelos comentários!

Igor Coelho 26 de maio de 2010 00:16  

Eu ADORAVA Solbrain. É esquisito que os meus amigos que, quando criança, assistiam Jaspion, Changeman, Flashman, Kamen Rider, etc., não lembram de Solbrain. Eu lembro que gostava muito da armadura cheia de acessórios dele.

Tenho até hoje na minha caixa de brinquedos antigos um boneco e o Dodge Viper que eles pilotavam. D+! Achava que só eu lembrava que isso existiu.

Seu blog está nos meus favoritos há alguns meses, conheci no Ocioso.

Abraços,
Igor Coelho

Paulo Almeida Prado 26 de maio de 2010 11:50  

Igor, valeu pelo comentário e por sempre visitar o blog, mto obrigado mesmo!

Então, eu lembro bem de Solbrain, mas pra ser sincero, não acompanhava muito. O que eu achava mais legal era mesmo os brinquedos, que foram lançados pela Glasslite, acho né? Tinha muitos bonecos legais, realmente!

Obrigado, abraços

Anônimo 29 de junho de 2010 09:16  

Acho uma bobagem sem fim esses seriados japoneses. Perda de tempo, fazem as novelas mexicanas parecerem brilhantes...

Paulo Almeida Prado 29 de junho de 2010 15:21  

Anônimo, não concordo mesmo com você. Mas valeu pelo comentário!

Alessandro 2 de julho de 2010 16:38  

Ptz, vcs estão discutindo um seriado de mais de 20 anos atrás. Isso que é desenterrar de caixão de dinossauro.

Paulo Almeida Prado 2 de julho de 2010 17:59  

Alessandro, levando em conta que esse blog é sobre NOSTALGIA, faz todo sentido discutir um seriado de anos atrás!

Obrigado pela visita!

Anônimo 16 de setembro de 2013 21:21  

COMO ASSIM QUE NINGUÉM SE LEMBRA DO SOBRAIN TIRA ISSO DAI GENTE BOA BLZ SEMPRE FÃ DESSA SÉRIE COMO O WINSPECTOR.

Related Posts with Thumbnails

  © Free Blogger Templates Spain by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP