terça-feira, 1 de setembro de 2009

Saiba quem é o famoso Herbert Richers!

Um dos principais mistérios para muitas gerações de fãs de cinema é: quem é Herbert Richers? Praticamente todos que já assistiram filmes dublados na TV conhecem a famosa locução, que anuncia ao inicío de grande parte dos filmes: "Versão Brasileira: Herbert Richers".

Nascido em Araraquara, interior de SP, no ano de 1923, Herbert Richers começou sua carreira trabalhando em família. Seu tio tinha um laboratório cinematográfico, na cidade do Rio de Janeiro. Em 1942, Herbert se mudou para lá, começou a trabalhar na área, e alguns anos mais tarde, abriu sua empresa, visando produzir e também distribuir filmes para cinema. Nos anos seguintes, teve participação fundamental em grandes clássicos do cinema brasileiro, produzindo sucessos como "Os Cafajestes" e "Meu Pé de Laranja Lima", além de ser responsável em parte pela adaptação ao cinema do livro "Vidas Secas".

Nos anos seguintes à chegada da TV ao Brasil (1950), ocorria um problema na exibição televisionada de filmes e séries estrangeiras. Tudo era transmitido com som original e legendas de baixa qualidade. Os televisores eram em preto e branco e tinham a tela muito pequena, o que prejudicava a compreensão dos espectadores, tornando as legendas quase ilegíveis. Visando sanar esta questão e conquistar um novo mercado, Richers aproveitou seu livre trânsito em Hollywood, e buscou os conselhos de um amigo, nada menos que Walt Disney. Disney o introduziu à prática da dublagem, já muito difundida em solo americano (até por conta da imensa produção de animação no país).

O produtor então resolveu investir nesse novo filão, criando uma divisão de dublagem para filmes, séries, desenhos animados e etc. Com o passar do tempo, a empresa que leva seu nome foi conquistando uma fatia cada vez maior do mercado e hoje a Herbert Richers é uma das maiores e mais tradicionais empresas do ramo de dublagem, produzindo em média 150 horas de conteúdo por mês. Tudo isso se alia a algo raríssimo no mercado, ter uma marca conhecida como sinônimo do seu produto: assim como quem identifica "Bombril" como sinônimo para "palha de aço", os termos "Herbert Richers" e "dublagem" também se confundem no imaginário de muita gente.

Ah, ficou curioso ou curiosa em conhecer o rosto do nosso personagem? Claro, é ele que ilustra o post! O próprio senhor Herbert Richers, que aos 86 anos ainda continua um homem atuante no mundo do cinema! Tem mais alguma dúvida sobre cinema ou qualquer outro assunto que tenha a ver com o ColorScreen? É só postar nos comentários que eu pesquisarei e postarei aqui! E não se esqueça de comentar e também de seguir o ColorScreen no Twitter!

***

Atualização em 20 de novembro de 2009: hoje faleceu o senhor Richers, aos 86 anos, vítima de complicações renais. Mas, sem dúvida, seu legado será eterno junto a nós, fãs de filmes, séries, desenhos animados e tudo mais produzido por sua empresa! Obrigado por tudo, Herbert Richers!

26 comentários

Lucas Martins 1 de setembro de 2009 12:30  

Excelente post! Muito exclarecedor, tenho certeza que muita gente (assim como eu) não sabia quem era Hebert Richers.

Edmilson 1 de setembro de 2009 16:14  

Mesmo sabendo ser muito difícil que o Sr. Herbert leia esse comentário, queria agradecê-lo por ter nos possibilitado tantos momentos mágicos. Eu sou de uma geração que vibrava com os filmes da "sessão da tarde", assistidos na casa de algum vizinho, pois ter TV em casa não era pra qualquer um. Obrigado Sr. Herbert.

Marcos Vaz 2 de setembro de 2009 01:15  

Gostei muito do post, bem elucidativo. Realmente é de se orgulhar, conseguir fazer seu nome se tornar sinônimo de dublagem. E olha que a dublagem brasileira está entre as melhores de todo o mundo. =D

http://blog.marcosvaz.com.br

Paulo Almeida Prado 2 de setembro de 2009 01:29  

valeu, lucas/ovelha! hahahaha

edmilson, pois é, é bem legal recordar essas coisas, obrigado pela visita e pelo comentário!

Paulo Almeida Prado 2 de setembro de 2009 01:33  

obrigado marcos, parabens pelo seu trabalho também! legal os personagens!

Anônimo 2 de setembro de 2009 09:11  

Quem nunca ouviu o bordão citado provavelmente nunca assistiu TV. H.Richards, assim como a saudosa AIC São Paulo, são marcos do melhor período da TV brasileira, antes da imbecilidade e má dublagem tomar conta da telinha...Obrigado sr. Richards pelas lembranças felizes da infância.

Juniw 2 de setembro de 2009 10:49  

Muito bacana o post. E os dubladores? Será que são contratados por um período "x" ou são freelancers?

Anônimo 2 de setembro de 2009 18:02  

Ele não é parente do Léo Batista não?

danieltamayo 9 de setembro de 2009 16:32  

Caraca meu, Hebert Richers ainda está vivo!! Jurava q ele tava morto. É quase impossível ver um filme dublado sem ouvir o famoso "versão brasileira, hebert richers" ou "alamo". Muito legal o post, nem fazia ideia q ele conhecia o Walt Disney

DonAtomix 20 de setembro de 2009 00:08  

Eu cresci ouvindo isso: versão brasileira: Herbert Richers. Só que eu achava que era "Richards". Até estranho quando falam outro nome que não seja o do Herbert.

Paulo Almeida Prado 20 de setembro de 2009 14:23  

anônimo, é verdade!

juniw, acho que existem os dois casos, free lancers e contratados!

anônimo, parece um pouco mesmo ahahaha

daniel, pois é, ainda ta vivo!

donatomix, eu tbm ja achei que era richards ahahaha

professoricardo 21 de setembro de 2009 23:21  

Meu pai trabalhou lá, era radio ator nos anos 50 e passou a dublar e dirigir a partir dos anos 60. Trabalhou no Herbert nos anos 70. Mas ele mais dirigia que dublava. Um filme que eu gostava e queria encontra na NET, mas nunca consegui, era o Detetive Hary-O, que a Globo exibia, nas noites de sexta (criança fica em casa a noite eu era criança nos anos 70rss).
Nos anos 70 a Globo exibia, séries policiais americanas de segunda a sexta, quintas era o Kojak, co o Luís Mota.
O meu pai, Ribeiro Santos, alem de dirigir essa série, dublava o personagem título!
Se por acaso alguem tiver um link, para o filme dublado,eu agradeço.

Paulo Almeida Prado 22 de setembro de 2009 00:40  

ricardo, mto legal sua história!

eu procurei por download do kojak dublado, achei esse site com varios episodios supostamente dublados, mas nao cheguei a baixar e ver...

se vc quiser tentar:
http://sedentariosdaweb.blogspot.com/2009/01/kojak-primeira-temporada-dublada.html

depois volte e comente aqui se deu certo!

obrigado pelo comentário!

professoricardo 24 de setembro de 2009 22:19  

Maneirissimo heim rapaz!!! Já pensou... a gente baixa os episódios e aos poucos podemos viajar aos anos 70!!!! MARAVILHOSO!
Obrigadooooo!!!

Paulo Almeida Prado 24 de setembro de 2009 22:36  

ve ai se deu certo, se é a voz do seu pai msm, e depois conta aqui!

professoricardo 26 de setembro de 2009 01:44  

Rsss, não, o Kojak quem dublava era o Mota, um amigo do meu pai!!
O meu pai, como eu disse mais dirigia filmes do que dublava, porem dublou o personagem título da série, Hary-O.
Exibida à sextas 22h pela globo!
Porem... assistir ao Kojak de novo, e agora acompanhado da minha mulher foi um barato!! Agradeço ao site!!!

Paulo Almeida Prado 26 de setembro de 2009 05:11  

ah sim! bem legal, volte sempre :D

keilinha 22 de outubro de 2009 10:11  

Meu... Excelente!!!! bem esclarecedor,uma leitura fácil e objetiva.Parabéns

Paulo Almeida Prado 22 de outubro de 2009 14:33  

obrigado!

Bruno 20 de novembro de 2009 14:24  

ele faleceu hoje:
http://www.cinemaemcena.com.br/Noticia_Detalhe.aspx?ID_NOTICIA=31666&ID_TIPO_NOTICIA=3

Paulo Almeida Prado 20 de novembro de 2009 16:10  

é vdd, triste isso...

valeu bruno pelo aviso, eu ja atualizei o post, com uma pequena homenagem..

=/

Anônimo 20 de novembro de 2009 21:06  

infelizmente são os rostos anonimos que fazem toda a diferença
herbert,temos certeza de que o senhor lutou por um mundo melhor
onde hoje vivemos,que sua alma descanse em jesus.....

Paulo Almeida Prado 20 de novembro de 2009 23:15  

concordo =/

Felipe Bastos 21 de novembro de 2009 01:22  

pô esse ano tá foda, depois do Homem da "a voz dos Trailers", agora o senhor Herbert Richers, grande perda.

bela homenagem, só acho que faltou um videozinho,


http://www.youtube.com/watch?v=R3qDBKvLV-k

abraço.

Yves 23 de dezembro de 2009 21:05  

CAROS PROFESSOR RICARDO E PAULO ALMEIDA PRADO
MEU NOME é YVES HUBLET E EU TRABALHEI, FUI DIRIGIDO E DIRIGI O SEU PAI, NOSSO QUERIDO RIBEIRO SANTOS NO TEMPO DA COMBATE + COOPERATIVA MISTA BRASILEIRA DE ARTISTAS E TECNICOS, JUNTO C/MOTA/WALDYR SANT'ANA/LINA ROSSANA/LUIS MANOEL/RODNEY/ VALéRIO E OUTROS COMPANHEIROS.
TODOS ADORAVAM E RESPEITAVAM MUITO O SEU PAI, GRANDE FIGURA QUE NOS DEIXOU MUITAS SAUDADES.....
ESTOU MORANDO NA BéLGICA E GOSTARIA DE ENTRAR EM CONTATO C/ O SANT' ANNA E/OU LINA/LUIS MANOEL;
ELES AINDA TRABALHAM NA HERBERT RICHERS?????
EU TRABALHEI LA, NA GLOBO QUE ALUGAVA PARTE DOS ESTUDIOS.....COMO CO-DIRETOR DO SERIADO O BEM AMADO.....ANOS 80;
GRANDE ABRAçO A VOCÊS TODOS E OTIMO 2010....

Paulo Almeida Prado 23 de dezembro de 2009 23:06  

poxa, Yves, mto legal sua história!

infelizmente eu não sei como te ajudar, mas se alguém souber ajudar, ajude, comente aqui!

abraços!

Related Posts with Thumbnails

  © Free Blogger Templates Spain by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP